Skip to content

Cinema sueco invade Mostra de SP

01/11/2009

A 33ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo de 2009, um dos maiores e mais importantes festivais de filmes da América Latina, tem nesta edição um toque sueco. A presença do cinema svenska está não somente na competição, como também há uma retrospectiva de filmes suecos e um fórum de coprodução. No total, estão sendo exibidos mais de 35 filmes suecos no festival, que termina dia 5 de novembro.

A Suécia disputa o certame com cinco filmes: Burrowing (Man tänker sitt), The Eagle Hunter’s Son (Örnjägarens son), Almost Elvis (Karaokekungen), Metropia e The King of Ping Pong (Ping-pongkingen). Além disso, há mais 11 filmes no Suécia Festival – Perspectivas. Uma série de curtas-metragens também é exibida sob o título de Suécia Festival – Curta Cinema, com o foco especial em uma figura promissora do cinema sueco, Patrik Eklund. E ainda tem uma série retrospectiva de filmes em homenagem a Arne Sucksdorff (1917-2001),  Hasse Ekman (1915-2004) e uma homenagem a Jan Troell (1931). Ou seja, nesta edição, os cinéfilos que participam da maratona da Mostra terão a oportunidade de ter uma ampla visão de cinema sueco.

metropia_07

Cena de Metropia, longa de animação de Tarik Saleh, que está na disputa da 33ª Mostra.

Muitos diretores suecos e produtores estão participando do festival. Teresa Fabik, Jens Jonsson, Petra Revenue, Rainer Hartleb, Tarik Saleh, Henrik Hellström, Patrik Eklund, Jörgen Bergmark and Fredrik Gertten estão presentes para discussões de seus filmes com o público. Sandra Harms (Breidablick Film), Erika Wasserman (Fasad), Mani Masserat-Agah (Jens Jonsson AB), Oskar Söderlund (GötaFilm) and Mattias J. Skoglund (Pampas Produktion) estão presentes para apresentar novos projetos de coprodução a empresas cinematográficas brasileiras. Os negócios prosseguem com diversas empresas que representam filmes da Suécia vieram vender projetos a distribuidores brasileiros. Parece que finalmente estão acordando para o Brasil, que possui uma carência enorme de distribuidores de filmes escandinavos.

É claro que, em meio a tanto cinema sueco, a Mostra não poderia se esquecer de seu nome mais representativo, Ingmar Bergman (1918-2007). A Cinemateca Brasileira exibe, desde o dia 26, a instalação “Ingmar Bergman: O Homem que Fazia Perguntas Difíceis”, produzida pelo Svenska Filminstitute. Na abertura, alguns felizardos conseguiram assistir ao documentário A Ilha de Bergman (Bergman Island), resultado de uma longa entrevista da jornalista e diretora Marie Nyreröd com o cineasta em 2006, na ilha de Fårö, onde vivia recluso. Na instalação é possível percorrer os diferentes universos de Bergman por meio de projeções em cinco telas instaladas em uma estrutura em forma de árvore, rodeadas por paineis que retratam as paisagens inóspitas que lhe serviram de locação. Nas telas, projeções de seus filmes, entrevistas, cenas de bastidores, trechos de documentários sobre o diretor, citações extraídas de seus livros, artigos e críticas sobre suas obras. (Com informações de Petter Mattsson, do Svenska Filminstitute. e 33ª Mostra de Cinema de SP.)

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: